O PEIXE À DELICIA

Um casal francês, Charles e Lucia Paulette Dell´Eva moravam em Fortaleza na década de 50. Ele era veterano da segunda guerra e veio para o Brasil por acaso, chegando primeiro no Maranhão e depois indo para Fortaleza. Não demorou muito e seus dotes culinários ficaram conhecidos, em uma época que a aristocracia cearense se interessava por tudo que vinha da Europa, sobretudo da França, considerada pela maioria o berço da civilização, e, ao mesmo tempo estavam ávidos por novidades. A Belle Époque cearense se instalou em Fortaleza desde 1880, em decorrência do ciclo do algodão que começara em 1850 e trouxe grande desenvolvimento econômico para a capital, modificando a paisagem da cidade, os hábitos de consumo e atividades sociais. “A Praça do Ferreira recebeu amplos jardins – com gradil e adornos idênticos ao do Passeio Público – e cafés ao estilo francês. ” (CRUZ, C.A.R; HOLANDA, L.F.C, Fortaleza na Belle Époque, Fortaleza, 28/01/2010). São 70 anos de diferença, mas que de acordo com o mencionado em fontes históricas, em termos de interesse pelo o que vinha da Europa, não modificou a intensidade. O centro de Fortaleza era a grande referência para tudo, inclusive para medir as distancias. Por isso, estavam concentrados nessa região, não somente os cafés ao estilo francês, como também os restaurantes mais frequentados. Eram bem poucos, onde o mais conhecido era o A Gruta. “Os demais restaurantes estavam localizados nos poucos hotéis: Excelsior, Palace, Astória e Brasil. Havia também o restaurante do Ideal Clube, o único cinco estrelas da cidade, com o inconveniente de estar localizado muito longe do Centro. “ (GARCIA, Fátima, Fortaleza, 28/11/2011).


Em 1952 o chef Charles foi inicialmente convidado para assumir a cozinha do restaurante Náutico Atlético Cearense, que tinha sido inaugurado há pouco tempo. “Charles foi um grande sucesso na introdução de seu menu, e pela primeira vez na história do Ceará, a lagosta passou a fazer sucesso (...). “ (NOBRE, Leila; Restaurante Lido, Fortaleza, 08/08/2010). Interessante mencionar que nessa época na Praia de Iracema, para se andar entre as pedras, era preciso espantar as lagostas e que ninguém tinha o habito de comer. Os pescadores achavam que as lagostas eram as mães dos camarões (DAVIS, Marcos; 2012) e por isso não tinha o habito de come-las, mas quase dez anos depois, o Ceará triangulou uma guerra diplomática, com a França e o Japão, por conta de capturas ilegais de lagosta, realizadas por embarcações destes países, que ficavam localizadas no litoral do nordeste brasileiro.


Após o sucesso de seu menu do Náutico, Charles foi convidado para inaugurar o Ideal Clube em 1953 e por lá ficou até inaugurar o seu próprio restaurante, que acabou por se tornar histórico para a sociedade cearense, devido a uma série de fatores. Foi inaugurado em agosto de 1955, em um lugar que não se tinham muitos negócios gastronômicos, com uma arquitetura que misturava o rustico da pesca, com detalhes franceses. “O nome foi inspirado no famoso Le Lido, em Paris. “ (NOBRE, Leila; Restaurante Lido, 08/08/2010). O restaurante ficava de frente para o mar, atraia as famílias abastadas da cidade, que se encantavam pela possibilidade de comer e beber vendo o pôr do sol, assim como, os movimentos do mar que em períodos de ressaca, chegavam a invadir o salão. Estava sempre lotado e foi um sucesso por muitos anos, lançando receitas que até hoje fazem parte dos cardápios cearenses. Uma dessas receitas é o peixe à delicia. Uma combinação do francês molho bechamel, com peixe, banana e queijo, formando uma mistura de sabores franco-cearense e que logo entrou no gosto dos frequentadores, muito provavelmente pelo reconhecimento do paladar pelos derivados do leite, adicionados do sabor de uma das frutas preferidas com um peixe branco e amplamente consumido. A presença do molho branco, creme de leite e queijo, talvez seja o mais duradouro casamento da cozinha francesa com a cozinha cearense, estando até hoje entre as preferencias no paladar do Estado. O ciclo do gado faz parte de um importante período do processo de formação do Ceará e isso passa pelas escolhas alimentares, por exemplo, introduzindo o queijo coalho desde os primeiros anos do processo formativo dessa região.


Em 1974 o restaurante Lido foi vendido para o gerente do restaurante na época, mas entrou em decadência até fechar em 1984 e hoje no seu lugar está construído um prédio de apartamentos residenciais.


De acordo com o blog Fortaleza Nobre, que entrevistou a filha do casal Dell´Eva, segue a receita original do Peixe à Delicia:


Ingredientes:


6 filés de peixe sem pele

6 bananas maduras (depois de fritas, serão cortadas ao meio)

Manteiga e azeite de oliva para fritar

Sal e pimenta do reino à gosto para temperar os filés


Molho:


1 copo de creme de leite fresco (230g)

2 gemas de ovo

1 cálice de vinho do porto ou um bom conhaque

½ copo de leite (metade da quantidade do creme de leite)

Sal e pimenta de reino à gosto para temperar (bem pouquinho – para não ficar salgado nem apimentado)

Queijo parmesão ralado para gratinar


Preparo:


Frite os filés de peixe no azeite e reserve. Frite as bananas na manteiga com um pouco de azeite até ficarem douradas e não escuras. Reserve. Molho: bata tudo com um garfo ou com um “fouet”. Em um refratário, coloque os peixes e as bananas. Por cima, cubra com o molho e leve ao forno com o queijo parmesão ralado por cima para gratinar. Dependendo do forno...15 à 20 minutos só para dourar. Não pode secar, pois este molhinho maravilhoso também pode ser colocado por cima de um arrozinho branco para acompanhar o peixe. Sirva bem quente.


REFERENCIAS:

1. CRUZ, Carlos Augusto Rocha; HOLANDA, Lúcio Flávio Chaves, Fortaleza na Belle Époque, Fortaleza, 28/01/2010) Disponível em: http://fortalezaantiga.blogspot.com/2010/01/fortaleza-na-belle-epoque.html. Acessado em 19/06/2021

2. GARCIA, Fátima; Os antigos restaurantes, Fortaleza, 28/11/201. Disponível em: http://www.fortalezaemfotos.com.br/2011/11/os-antigos-restaurantes.html. Acessado em 19/06/2021

3. NOBRE, Leila; Restaurante Lido, Fortaleza, 08/08/2010. Disponível em: http://www.fortalezanobre.com.br/2010/08/restaurante-lido.html. Acessado em 19/06/2021

4. DAVIS, Marcos; A lagosta no Ceará: do desprezo ao declínio; Fortaleza, 16/02/2012. Disponível em: http://mardoceara.blogspot.com/2012/02/lagosta-no-ceara-do-desprezo-ao.html. Acessado em: 19/06/2021

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo